Publicidade

Justiça da Espanha condena três torcedores do Valencia à prisão por ofensas racistas a Vini Júnior

Condenados agrediram brasileiro com gritos e gestos racistas; episódios foram registrados há pouco mais de um ano

10/06/2024 às 13h33 Atualizada em 10/06/2024 às 19h42
Por: Redação
Compartilhe:
Justiça da Espanha condena três torcedores do Valencia à prisão por ofensas racistas a Vini Júnior

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ) | 10 de junho de 2024 às 11:56

Torcedores do Valencia foram os primeiros condenados à prisão por ofensas racistas contra Vini Junior - Jose Jordan/AFP
Em decisão inédita, três torcedores do Valencia foram condenados a oito meses de prisão na Espanha por agressões racistas contra o jogador brasileiro Vinícius Júnior, do Real Madrid. A sentença publicada nesta segunda-feira (10) determina ainda o afastamento dos condenados dos estádios na Espanha por dois anos.

O episódio que levou às condenações aconteceu em 21 de maio de 2023, em partida no estádio do Valencia, na cidade de mesmo nome. Vini Júnior, como é conhecido, foi chamado de "mono" ("macaco", em espanhol) por integrantes torcida adversária. A partida chegou a ser interrompida, mas foi retomada, e o atacante brasileiro foi expulso após reagir a uma agressão de um adversário.

Dias depois, os três acusados chegaram a ser detidos, mas posteriormente foram liberados e acompanharam o julgamento em liberdade. Ainda não há certeza se os condenados chegarão a ser presos após a condenação, já que a lei espanhola permite suspensão das prisões inferiores a dois anos em caso de réus primários. Eles terão de pagar as custas do processo.

Na sentença, o tribunal que julgou o caso, em Valencia, afirmou que os gestos e ofensas verbais causaram ao atleta brasileiro sentimentos como "frustração", "vergonha", "humilhação" e "violação da dignidade".

O Real Madrid, clube de Vini Junior, celebrou a decisão. Em nota oficial, a direção do clube lembrou o ineditismo da condenação e citou uma carta de desculpas enviadas pelos agressores. Além disso, afirmou que seguirá trabalhando para "erradicar qualquer comportamento racista no mundo dos esportes".

A 'La Liga', entidade que administra o campeonato espanhol, também se manifestou, dizendo que a condenação é "uma grande notícia para a luta contra o racismo na Espanha".

Um dos principais atletas do Real Madrid na atualidade, e cotado para ser eleito o melhor jogador de futebol do mundo neste ano, Vini Júnior tem convivido com frequentes episódios racistas na Espanha. Em entrevista coletiva recente, ele se emocionou ao falar sobre o assunto, chegando a dizer "cada vez eu tenho menos vontade de jogar".

Edição: Geisa Marques

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.